Como incentivei a leitura dos meus filhos

Postado em:
Blog - Depoimentos
- 03/03/2021 13:46:02

Para seu filho amar os livros primeiro você precisa ter prazer em ler para ele. No final do dia depois da rotina estressante do jantar, banho, acalmar confesso que quando os meninos eram pequenos não sobrava animo para ser a mãe do comercial de margarina e ler feliz para as crianças. E acredito que para que eles gostem do momento da leitura o leitor precisa transmitir prazer por aquilo que está fazendo e naquele horário tudo que eu queria era se dedicar aos meus livros e não as histórias infantis. Leio em média 3 livros por mês, aproveitava o momento em que eles estavam assistindo desenho animado, portanto o livro fazia parte do universo familiar desde sempre.

Após pensar em como eu poderia resolver este problema resolvi que os livros sairiam da prateleira e se mudaram para a caixa de brinquedo, a hora da historinha passou a ser quando tínhamos vontade, sem a obrigação da leitura. Quando a mamãe não podia ou não queria ler a função era deles de folhearem o livro e me contarem a história que queriam. Me lembro um dia que o Leonardo pegou a bíblia infantil e contou a história da cobra que comia a maçã e ficava gorda até explodir. Naquele momento ele não estava lendo um livro religioso, ele estava sendo criança e usando a imaginação.

A visita à livraria era um momento de diversão para a família toda. Cada um pegava um livro para conhecer uma história nova e se queriam levar para casa a resposta sempre que possível era sim. A escolha dos livros, na maioria das vezes, não seguia um padrão educacional ou um desejo dos pais, mas a capa bonita, as ilustrações que chamavam a atenção das crianças e um tema adequado para aquele dia. Quando achávamos um livro com uma temática interessante ou mesmo educacional para o momento e a idade da criança, aquele livro passava a ser um presente por bom comportamento ou merecimento de algo legal que fizeram.  Assim, eles puderam descobrir que tipo de história gostam mais. O Leonardo ama futebol e sempre procura livros que tenham bola na história, o João é o louco dos super-heróis e assim eles foram descobrindo sua paixão pela leitura, sem obrigação, sem pressão.

Não é fácil fazermos eles trocarem a televisão pelos livros. A tecnologia está presente na vida deles e precisamos ajudá-los a incluir a leitura na rotina digital. Podemos mostrar que dá pra ler pelo celular, que já existem livros e gibis digitais, que temos os contadores de história no youtube. Que o tempo na frente do computador ou do tablet pode ser para ouvir uma história, conhecer coisas novas e instigar a imaginação. Outra forma que acredito que seja interessante para incentivar o gosto pelos livros são os desenhos.

Crianças adoram desenhar e ilustrar uma história que acabaram de conhecer faz com que prestem mais atenção em detalhes que normalmente passam despercebidos.


Cada criança é única, hoje aos 12 anos o João lê em média um livro por mês, livros escolhidos por ele, livros de papel e no e-book.  O Leonardo ainda não tem essa paixão pelos livros, mas adora inventar histórias e ler gibis. A visita à livraria é um dos passeios em família que mais gostamos de fazer e ganhar livros de presente deixou de ser uma escolha dos pais para ser uma escolha dos filhos.

- Patrícia Prado, mãe do João, 12 anos e do Leo, 9 anos.
 

Categorias

Fique informado!

+ Posts

Aula de Circo para crianças!!
Aula de Circo para crianças!!
Passeio de Veleiro no pôr do Sol.
Passeio de Veleiro no pôr do Sol.
A importância dos filmes infantis
A importância dos filmes infantis
O mercado de clubes de livros infantis nos Estados Unidos
O mercado de clubes de livros infantis nos Estados Unidos
Esporte é inclusão
Esporte é inclusão